•▄▀• POSTAGENS MAIS RECENTES

sábado, 7 de março de 2009

As vantagens de adotar um amigo vira-lata

Do site da cidade de Itu! Isso mesmo! O site tem inclusive uma página específica só sobre animais.

“O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silencio dos bons.” Martin Luther King

Felizmente, tenho notado que a cada dia mais se percebe nas ruas de São Paulo, pessoas, que podemos chamar respeitosamente de “gente fina”, sendo puxadas nas coleiras por nada mais nada menos do que bem tratados vira-latas. Já não era sem tempo!

Num primeiro momento, tomamos um susto pelo contraste entre roupas caríssimas e tênis de marcas ao lado de um cãozinho sem raça definida, desengonçado, que muitos maus elementos já chutaram na frente de um bar quando ele era feio, sarnento e esquelético.

A cena parece mais hilária quando o passeio acaba e há um motorista que espera a dupla para abrir a porta do possante. Eles pulam para dentro do ar climatizado do jipão: Lá vai o vira-lata todo feliz e sortudo à beça! Enquanto ele tirou a sorte grande, milhares de outros primos e irmãos continuam suas vidas errantes por aí.

Em países do primeiro mundo, os cães sem lar que perambulam nas ruas estão praticamente extintos. Por lá, a galera está há décadas e décadas à nossa frente no quesito “respeito ao animal”. (Tenho grandes dúvidas quanto a isso. Esses países têm fábricas de filhotes do mesmo jeito que nós. Eles têm donos que abandonam seus animais do mesmo jeito que nós. E possivelmente não há cães nas ruas porque é frio e eles morrem se não tiverem abrigo...) Nesses países os desafortunados de quatro patas são recolhidos, abrigados e encaminhados a um lar. (Os que não forem adotados são muitas vezes sacrificados, do mesmo jeito que acontece aqui. Agora uma coisa é certa: no quesito agressividade o governo deles não perdoa. Se um cachorro morder alguém e esse alguém prestar queixa, o cachorro é sacrificado)

Tudo bem que aqui ainda temos outros problemas igualmente urgentes, mas o panorama dos caninos, que aos milhares ainda vagam ao léu, está longe de ser resolvido. O abandono e a posse irresponsável são as principais causas do problema, e como solução a imensa maioria deles tem apenas o final de vida cruel das prefeituras.

Mas como nem tudo esta perdido, existem algumas almas bondosas que salvam os coitados dos pulguentos das ruas e inúmeras organizações governamentais que fazem campanhas de adoção.

Graças a campanhas de todos os tipos, aparecem pessoas que ao buscarem um animal de estimação não analisam cor, raça ou aparência, apenas sentimentos.

Adotar um cão vira-lata de entidades sérias não é só o inicio de uma relação de intensa amizade como também é ótimo para o bolso.

Esses animais já vêm castrados, vermifugados e vacinados. E se o “tomba” escolhido está na fase adulta, já estão poupados o jardim da casa e os pés de mesas e cadeiras da destruição de um filhote travesso. (Taí uma coisa que muita gente não sabe: um adulto se adapta tão bem à nova casa quanto um filhote. Só que o adulto leva uma grande vantagem, ele já passou pelas piores fases do desenvolvimento emocional de qualquer canino: a infância e a adolescência, que são as épocas mais trabalhosas para o dono)

Os cães vira-latas também são mais resistentes fisicamente e, além de extremamente amorosos e inteligentes, aprendem sinais de comando e ordens rapidamente. Quem nunca viu um malandro desses atravessando a rua na faixa de pedestres quando o sinal fechou? Eu já vi centenas de vezes. (É importante frisar a diferença entre o vira-lata "puro-sangue", aquele que é fruto de muitas e muitas gerações de cães SRD, e o mestiço, que é a cruza entre dois cães de raças distintas. Os vira-latas "puro-sangue" têm sim todas as vantagens mencionadas nesse parágrafo e mais algumas, como por exemplo serem naturalmente sociáveis. Já os mestiços, que não deixam de ser vira-latas também, costumam herdar o pior dos pais, tanto em termo de temperamento quanto de saúde)

Sabedoria é pouco para definir o instinto de sobrevivência e a "lábia" que esses amiguinhos têm. (Usar o termo "lábia" para um cachorro é ótimo, hehe! Mas não deixa de ser verdade! Os viras "puro-sangue" são peritos em comunicação canina e dão um jeitinho de resolver pacificamente todos os desentendimentos com os demais membros da matilha) Só quem nunca teve a chance de conviver com um é que não sabe. E eu bem sei disso, tenho seis deles que não me deixam mentir.

Depois dessa experiência, passei a observar melhor a situação desses “amigos” abandonados irresponsavelmente e acabei descobrindo o trabalho de várias organizações sérias que se preocupam com essa questão e ajudam pessoas a encontrarem seu “bichinho de estimação”.

Para quem quiser saber mais sobre o assunto, ajudar de alguma maneira ou mesmo adotar um amiguinho indico o blog Animais Para Adoção, muito bacana e trata do assunto com bastante seriedade. Ah, abrange praticamente todo o país – De link em link você encontra seu estado, a sua cidade e todas as informações à respeito - www.adotacao.blogspot.com

Uma descoberta importante para mim: Não fui eu quem salvou meus “amiguinhos adotados”, e sim eles que trouxeram um novo sentido e uma lição enorme para minha vida.

Um comentário:

  1. Ótimo Blog, parabéns! Também me preocupo com os bichos e publico textos a respeito no meu blog: www.jairclopes.blogspot.com no qual externo minha opinião com a finalidade de contribuir para a preservação dos animais. Abraços, JAIR.

    ResponderExcluir

•▄▀• OUTRAS POSTAGENS NOS LINKS ABAIXO